‘Vampirão’ estará na sede da Prefeitura de Manaus no próximo dia 18

Para atender a demanda de hospitais, prontos-socorros e outras unidades de saúde no Amazonas, a doação de sangue é um ato que precisa ser incentivado durante o ano inteiro. A campanha mensal “Junho Vermelho”, que mobiliza a sociedade sobre a importância da doação de sangue, chegou ao fim, mas a Prefeitura de Manaus, por meio do Fundo Manaus Solidária, continua engajada na campanha de coleta e doação de sangue.

Por isso, no dia 18/7, a Unidade Móvel de Coleta da Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam), o “Vampirão”, estará das 8h às 17h, na sede da Prefeitura de Manaus, em frente ao auditório Isabel Victoria de Mattos Pereira do Carmo Ribeiro, para realizar a coleta sanguínea. Além dos servidores, a coleta de sangue estará aberta à população em geral, desde que preencha os requisitos necessários para a doação.

Entusiasta da campanha de incentivo à doação de sangue, a presidente do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, ressalta a importância desse gesto que ajuda a salvar vidas. “Doar sangue é um ato de amor, uma atitude altruísta e de solidariedade. Nós não precisamos esperar que alguém perto de nós precise para fazer a nossa parte. Amanhã pode ser eu ou você a precisar desse ato de amor, por isso, doe”, enfatizou.

Nos últimos anos, as taxas de doação não tiveram oscilações, o que demonstra que as campanhas têm dado certo e há uma conscientização maior da população, segundo o Ministério da Saúde. No entanto, é necessário fortalecer as ações que estimulam a doação voluntária para manutenção dos estoques de sangue no país.

De acordo com diretora-presidente da Fundação Hemoam, Socorro Sampaio, existem mais de 500 mil doadores cadastrados no banco de dados da fundação, no entanto, menos de 10 mil doam sangue regularmente por ano. Para ela, as campanhas que reforçam as doações são importantes para fortalecer o estoque de sangue no Estado.

Este ano, o tema da campanha de doação foi “Sangue seguro para todos”, que busca sensibilizar sobre a necessidade universal de sangue seguro na prestação de atenção à saúde. Por isso, é importante saber que existem doenças que podem ser transmitidas numa transfusão de sangue, e a necessidade de ser honesto na hora de responder as perguntas da entrevista prévia à coleta de sangue.

Para doar

  • Podem doar sangue pessoas entre 18 e 59 anos, com peso a partir de 50 quilos e em bom estado de saúde.
  • Não pode doar sangue a pessoa que teve hepatite depois dos 10 anos de idade, que teve comportamento sexual de risco, que usa drogas, que teve malária;
  • Quem recebeu transfusão sanguínea ou teve doenças sexualmente transmissíveis nos últimos 12 meses ou que teve febre nos últimos 30 dias.

– – –

Texto – Nicole Baracho / Manaus Solidária

Fotos – Karla Vieira / Manaus Solidária

Disponíveis em – https://flic.kr/s/aHsmEVWsTL