Deficientes auditivos são beneficiados pelo projeto ‘Uma Tarde no Museu’

“O Museu da Cidade se orgulha de apresentar nos seus serviços um tratamento diferenciado para os mais diversos públicos”, comenta Leonardo Novelino, diretor do Museu da Cidade de Manaus. O local é o escolhido para receber o projeto “Uma Tarde no Museu”, coordenado pelo Fundo Manaus Solidária, e recebeu na quinta-feira à tarde, 25/7, nove crianças deficientes auditivas e/ou mudas do Instituto Filippo Smaldone.

O diretor do museu continua explicando que existem aparatos tecnológicos de inclusão e acessibilidade aos deficientes auditivos. “Desde o início do ano estamos com a mão na massa num projeto da Prefeitura de Manaus, chamado ‘Julia’. Nesse projeto, todo o conteúdo do nosso museu nas áreas de História, Arqueologia, Antropologia está em Libras para o público de surdos. Manaus tem sorte em ter gestores com sensibilidade, como o prefeito Arthur Neto e a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro para oportunizar conhecimento e espaços públicos para toda a população”, diz Leonardo.

Até quem não é de Manaus consegue perceber o cuidado que se tem com nossos habitantes. Foi o caso do turista argentino Lucas Blanco, 23, que ficou surpreso com a existência de projetos como o ‘Uma Tarde no Museu’. “Na Argentina não lembro de ver algum projeto como esse. É importante que as pessoas e todos os tipos de públicos aprendam sobre isso, já que é a cultura da cidade de vocês. A Amazônia é o pulmão do mundo e todos nós temos que aprender desde cedo a cuidar desse patrimônio”, enfatiza.

Para os beneficiados do projeto, a alegria começou no dia anterior à visita. “Quando os estudantes souberam que vinham aqui ficaram muito felizes e essa alegria não passou até agora, estão todos admirados”, explica a professora da instituição, Miriam Abreou. “É bom para eles saírem da sala de aula, dos livros e verem o real. Assim eles entendem a dimensão da nossa cultura”, falou.

Uma estudante que conseguiu entender essa dimensão foi Sarah Badaró, 10, que se mostrou interessada durante toda a visita, comentando e apontando para tudo o que via. “O cemitério indígena foi minha parte favorita, porque é muito importante pra gente. Nunca tinha vindo aqui e já aprendi muita coisa da história de Manaus!”, comentou animada.

Desde o início deste ano o projeto tem levado tardes cheias de cultura e lazer a mais de 200 pessoas de bairros periféricos, em situação de vulnerabilidade ou atendidas por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos.

O Museu da Cidade de Manaus tem visitação aberta de terça-feira a domingo, inclusive feriados, das 9h às 17h (com última entrada às 16h20), com acesso gratuito. É localizado no Paço da Liberdade, na rua Gabriel Salgado, no Centro Histórico de Manaus, em frente à Praça Dom Pedro 2.

 

 

Texto: Nicole Baracho / Manaus Solidária

Fotos: Divulgação